Experimento TSPR: O experimento que enfim provou a existência de fantasmas

06/06/2017 14:43
"O Dr. Alan George Robert Owen criou um dos experimentos mais controversos do século e sem duvida um dos mais ambiciosos."
 
 

O experimento foi realizado em 1972, e seus resultados foram perturbadores.. Videos e entrevistas mostraram que é possível realmente entrar em contato com espíritos e tudo isso foi gravado e registrado oficialmente..

 
 
Década de 1970, um grupo de parapsicólogos canadenses visam a realização de um experimento que iria criar um fantasma. Ao fazê-lo, eles provariam sua teoria de que fantasmas são produtos da mente humana. O especialista em fantasmas, mundialmente conhecido, Dr. Alan George Robert Owen, criou então o grupo conhecido como TSPR - Toronto Society for Psychical Research (Sociedade de Pesquisas Psíquicas de Toronto), constituído por oito pessoas
 
Um psicólogo chamado Dr. Joel Whitton também participou de muitas das experiências como observador. Este pequeno grupo de pessoas vai sem duvida mudar a forma como olhamos para o sobrenatural...
 
Os experimentos começaram em 1972, onde sua primeira tarefa foi criar um personagem histórico fictício. Essencialmente, o que eles fizeram foi criar "fatos" para anexar a vida deste personagem que eles estavam criando. Eles escreveram uma biografia e lhe chamaram de Philip Aylesford. 
 
 

A Biografia

 
Em sua biografia, afirmaram que ele era um nobre inglês do século 17, que era casado com uma bela mulher, porém fria e hostil, chamada Dorothea. Um dia, ele se deparou com uma linda cigana chamada Margo, que fez ele ficar instantaneamente apaixonado. Logo Philip e Margo se tornaram amantes secretos.
 
Mas como a maioria dos segredos, o caso não durou para sempre porque sua mulher, Dorothea, descobriu sobre Margo e a acusou de bruxaria. Philip estava muito preocupado com a sua reputação, então não foi contra a idéia de Margo ser uma bruxa, o que resultou em ela ser queimada na fogueira. Ele, mais tarde foi acometido de remorso, em que a única maneira que ele poderia lidar com isso era lutar na batalha de Diddington. Certa manhã, ele foi encontrado morto no campo de batalha, e Philip Aylesford não existia mais.
 
 

Entrando em Contato

 
O grupo Owen além de uma biografia esboçou um retrato de seu homem recém-criado. Com isso, eles queriam fazer o grupo realmente acreditar que Philip Aylesford existiu de verdade. Era hora de passar para a próxima fase de seu experimento: se comunicarem com ele!
 
Começaram suas "sessões" em setembro de 1972, onde discutiam a vida de Philip, tentando visualizá-lo com o máximo de detalhes possível. Estas sessões se prolongaram por quase um ano com absolutamente nenhum resultado - além do sentimento ocasional de uma presença na sala. Até o momento as coisas não estavam boas para o experimento de TSPR.
 
Mais alguns meses sem nenhum contato e eles decidiram fazer uma abordagem um pouco diferente. Recriaram a clássica cena espiritualista, com luzes fracas na sala e sentaram em torno de uma mesa, com fotos e objetos do período em que Philip teria vivido. 
 
 

Contato inicial 

 
Enfim deu certo! Esta técnica logo produziu os resultados que eles estavam procurando. Philip tinha finalmente feito contato, manifestando-se ao grupo. 
 
Uma noite, o grupo tem a sua primeira mensagem de Philip na forma de uma batida muito clara sobre a mesa. Eles começaram a fazer-lhe perguntas em que ele iria responder com uma pancada para "sim" e duas para "não". Mas como será que eles sabiam que era Philip que se comunicava? Perguntaram para ele! 
 
 
Fizeram perguntas diretamente da biografia que eles haviam criado, e ele respondeu-lhes de forma consistente, mas não foi capaz de fornecer-lhes qualquer informação adicional sobre a sua vida para além do que havia em sua biografia. 
 
Philip foi capaz de dar informações históricas precisas, como eventos reais de seu período de tempo, e de pessoas que viveram durante ele também. Será que, como acontece em muitos casos, alguma outra entidade estava se comunicando com eles?
 

Fenômenos inexplicaveis começam a ocorrer

 
As sessões continuaram e uma gama de fenômenos inexplicáveis ​​começou a ocorrer. Philip começou a assumir uma personalidade própria, mostrando fortes pontos de vista sobre diversos assuntos com seus golpes hesitantes sobre a mesa. Até começou a movê-la, deslizando-a de um lado para o outro, apesar dela estar sobre um tapete grosso. 
 
Eles ainda relataram que a mesa deslizou sobre uma perna. Quando o grupo pedia a Philip para escurecer as luzes, ele fazia sem hesitar. Philip até mesmo podia cobrir o grupo em um cobertor de ar frio que soprava sobre a mesa em uma brisa de arrepiar. Uma coisa que o grupo notou foi que a mesa ficava elétrica ao toque quando Philip estava presente. Era como se Philip, de certa forma, tornar-se a própria mesa.
 
 

O experimento é comprovado ser real

 
O clímax dessa experiência veio diante de uma platéia ao vivo de 50 pessoas, filmado como parte de um documentário. Philip não era um ser tímido, ele se apresentou na frente deles sem quaisquer problemas. 
 
.
 
.
 
.
 
Além de bater em cima da mesa, ele era capaz de fazer as luzes piscarem e ainda fez a mesa levitar um centímetro do chão, suficiente para todos testemunharem, até mesmo a equipe de filmagem!
 
 

Resultado segundo os estudos

 
Eles conseguiram atingir seus objetivos indo bem além das expectativas iniciais do grupo, mas nunca conseguiram cumprir a meta - realmente ver Philip se materializar em um espírito. 
 
Obviamente eles entraram em contato com uma possivel entidade, que não só se passou por um personagem fictício, mas também foi capaz de seguir exatamente o que havia sido escrito na biografia. Isso poderia provar que essas entidades - seja lá o que forem - são totalmente inteligentes e podem facilmente enganar, e até mesmo se passar por outras pessoas.
 
 
 
Array